Deixe de arenguice.

Seminário e caminhada marcam, em Salvador, o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, celebrado amanhã, 21 de janeiro. A data, oficializada pela Lei nº 11.635 de 2007, homenageia a ialorixá Gildásia dos Santos e Santos, a Mãe Gilda, vítima da perseguição ao candomblé.

O Seminário Contra a Intolerância Religiosa, promovido pelo Centro de Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos da Universidade do Estado da Bahia – CEPAIA/Uneb, acontece esta tarde, no Pelourinho. No encontro, devem ser criados os Grupos de Trabalho (GTs) para Construção do Observatório Contra a Intolerância Religiosa e para Construção do Programa Estadual de Combate a Intolerância Religiosa.

A 4ª Caminhada contra a Intolerância Religiosa acontecerá amanhã, a partir das 9h. Partirá do Largo da Sereia, no bairro de Itapuã (Salvador), e seguirá até a Lagoa do Abaeté, também em Itapuã. No Abaeté está localizado o terreiro Axé Abassá de Ogum, liderado por Mãe Gilda até a sua morte. A ialorixá era hipertensa e morreu de enfarte, em 2000, após ver uma foto sua publicada no jornal de uma igreja evangélica, acompanhada de texto depreciativo. Semanas antes, o terreiro de Mãe Gilda fora invadido por evangélicos.

A morte de Mãe Gilda foi o estopim de uma grande mobilização do Povo de Santo contra a  intolerância religiosa, capitaneada pela ialorixá Jaciara Ribeiro dos Santos, a Mãe Jaciara, sua filha e sucessora no Terreiro Axé Abassá de Ogum. A Igreja Universal do Reino de Deus, responsável pela publicação da Folha Universal, foi condenada a indenizar a família de Mãe Gilda.

Confira a programação do Seminário:

  • 14:00 abertura – Toque para os Orixás
  • 14:20 – Palestra
  • 15:00 Mesa 1 – Instalação do GT para Construção do Observatório Contra a Intolerância Religiosa
  • 16:00 Mesa 2 – Instalação do GT para Construção do Programa Estadual de Combate a Intolerância Religiosa
  • 17:00 Mesa 3 – Lançamento do Curso de Extensão para Sacerdotes, Sacerdotizas e Autoridades Religiosas de Matriz Africana / UNEB
  • 17:30 Café de Interação

Mais informações com o Cepaia:
CEPAIA – Centro de Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos
Tel.: 71 3241-0787/0811
E-mail: cepaia@listas.uneb.br / uneb.cepaia@gmail.com

Fonte: http://www.generoracaetnia.org.br/pt/noticias/item/458-20/01/2011-seminário-e-caminhada-marcam-em-salvador-o-dia-nacional-contra-a-intolerância-religiosa.html

A benção Seu Ferreira Gullar

Prêmio Camões 2010
Ferreira Gullar é o 22º escritor a receber o prêmio

O poeta e dramaturgo maranhense Ferreira Gullar recebeu, na tarde desta quinta-feira, 16 de setembro, o Prêmio Luís de Camões 2010, o mais importante prêmio literário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). A cerimônia aconteceu na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, da qual participaram o Presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Muniz Sodré, representando o ministro da Cultura do Brasil, Juca Ferreira; o conselheiro cultural de Portugal, presidente do Instituto Camões e representante do Embaixador de Portugal no Brasil, Adriano Jordão; o acadêmico Murilo Melo Filho, da Academia Brasileira de Letras, e Adair Rocha, representante do ministro Juca Ferreira no Rio de Janeiro.

“Estou muito feliz com esse prêmio. Valeu a pena”, disse Ferreira Gullar. “Estou feliz porque os meus amigos estão felizes com a escolha. Todos sabem que esse prêmio tem uma alta significação. Indica um critério, uma seriedade. Estou na companhia de gente fina”, afirmou, lembrando os ganhadores das edições anteriores.

“É razão de muito júbilo quando se festeja, no presente, um poeta, um filósofo. A festa é muito maior quando se premia um grande poeta, como Ferreira Gullar”, disse Muniz Sodré, presidente da FBN.

Durante a cerimônia, Gullar leu o poema “Verão”, de sua autoria, que dedicou aos amigos do Grupo Opinião, marco do teatro de protesto e resistência no Brasil, durante os anos 1960. “A gente escreve para o outro. O sentido da vida é o outro. É o outro o nosso herdeiro, em todos os sentidos”, disse.

Adriano Jordão ressaltou a importância de se ter um prêmio “a quatro mãos”, entre Brasil e Portugal, e disse que “a maneira brasileira de ser está na poesia de Gullar”. Para Adair Rocha, a poesia de Gullar “interfere diretamente no sentido das coisas”. O acadêmico Murilo Melo, em nome dos imortais da ABL, disse que a instituição está orgulhosa pela escolha do júri neste ano: “Prêmio outorgado ao poeta, pensador e escritor que tanto honra a inteligência brasileira”.

Escolha foi anunciada em maio

O anúncio do Prêmio Camões foi divulgado pelo Ministério da Cultura do Brasil, por meio da Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC) e o Instituto Camões, em maio deste ano. A escolha foi anunciada pela ministra da Cultura de Portugal, Gabriela Canavilhas, e pela Comissão Julgadora do Prêmio, em cerimônia realizada no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa (Portugal). O valor do Prêmio é de € 100 mil, quantia dividida entre os governos do Brasil e de Portugal.

A escolha de cada vencedor do Prêmio acontece a portas fechadas, durante apenas um dia do ano, sem a existência de concorrentes pré-definidos. O critério utilizado pelo júri é a representatividade do trabalho de cada escritor para a língua e cultura portuguesas. O vencedor é anunciado somente após o consenso dos seis membros da Comissão em torno de um nome. Os jurados Edla Van Steen e Antônio Carlos Secchin, do Brasil, e Inocência Luciano dos Santos Mata, de São Tomé e Príncipe, foram os indicados pelo ministro da Cultura do Brasil, Juca Ferreira, para integrar a Comissão Julgadora. Luiz Carlos Patraquim, de Moçambique, Helena Buescu (que presidiu o Júri) e José Carlos Seabra Pereira, portugueses, foram indicados pela ministra da Cultura de Portugal. Inocência Mata e Luiz Carlos Patraquim foram os representantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (Palops).

Aos 80 anos, Ferreira Gullar é o 22º escritor a ganhar o prêmio. Pelo segundo ano consecutivo, a poesia foi destacada pelo júri; no ano passado, o poeta cabo-verdiano Armènio Vieira foi o nome agraciado com o Camões, sendo o primeiro escritor de seu país a receber a honraria. Instituído em 1988 pelos governos do Brasil e de Portugal, o Prêmio Camões é concedido anualmente pela FBN/MinC e pelo Instituto Camões, com o objetivo de estreitar os laços culturais entre países lusófonos, premiando seus escritores mais representativos.

Lista de ganhadores do Prêmio Camões

1989 – Miguel Torga, Portugal
1990 – João Cabral de Melo Neto, Brasil
1991 – José Craveirinha, Moçambique
1992 – Vergílio Ferreira, Portugal
1993 – Rachel de Queiroz, Brasil
1994 – Jorge Amado, Brasil
1995 – José Saramago, Portugal
1996 – Eduardo Lourenço, Portugal
1997 – “Pepetela” – Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, Angola
1998 – Antonio Candido, Brasil
1999 – Sophia de Mello Breyner, Portugal
2000 – Autran Dourado, Brasil
2001 – Eugénio de Andrade, Portugal
2002 – Maria Velho da Costa, Portugal
2003 – Rubem Fonseca, Brasil
2004 – Agustina Bessa-Luís, Portugal
2005 – Lygia Fagundes Telles, Brasil
2006 – José Luandino Vieira, Portugal/Angola (o autor recusou o prêmio)
2007 – Antonio Lobo Antunes, Portugal
2008 – João Ubaldo Ribeiro, Brasil
2009 – Arménio Vieira, Cabo Verde
2010 – Ferreira Gullar, Brasil

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/09/17/premio-camoes-2010-2/

Mêimundo de cabra sabido.

Culturas Populares

Oficinas do VI Festival Brasília de Cultura Popular

Caboclinho Sete Flexas (PE)
Dança dramática na origem ou representação dos primórdios da colonização Lusa, o Caboclinho é dos folguedos mais antigos que existe no Brasil. O Caboclinho 7 flexas é considerado o Caboclinho mais tradicional de Recife, principalmente pela forte marcação dos trupés (pisadas dadas com força marcando o ritmo das evoluções). Paulinho, um dos maiores dançarinos da tradição, nos conta que é assim que os índios se comunicam.

Local: Funarte – Galpão da Plínio Marcos
Dias: 8 a 10 de setembro
Hora: 9h às 12h

Cavalo Marinho Boi Pintado (PE)
O Cavalo Marinho é uma brincadeira popular que integra dança, música e dramatização. Por meio de sua trama, fala com poesia e ironia do cotidiano dos brincantes. O Cavalo Marinho Boi Pintado de Mestre Grimário foi fundado em 1993 com ajuda do saudoso Mestre Salustiano, é remanescente do Cavalo Marinho de Mestre Batista e hoje Grimário é o mestre mais novo em atuação dessa tradição e também ministrante desta oficina.

Local: Funarte – Sala de Dança Klauss Vianna
Dias: 8 a 10 de setembro
Hora: 9h às 12h

Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro (DF)
Nascido em 2004, o grupo Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro decidiu inventar um brinquedo para Brasília. Foi criado um mito repleto de figuras e elementos do Cerrado, o Mito do Calango Voador. Para dar vida às figuras dessa história, criou-se uma pulsada que pudesse trazer à brincadeira um ritmo próprio, nasceu o Samba Pisado. Da mistura desse novo samba com o teatro de quintal, Seu Estrelo traz um novo circo de rua, unindo o terreiro e o picadeiro numa singular e moderna brincadeira que povoa com novos seres o incrível imaginário popular brasileiro.

Local: Funarte – Teatro Plínio Marcos
Dias: 8 e 9 de setembro
Hora: 19h às 22h

Inscrições gratuitas!
Vagas limitadas.

Solicite sua ficha pelo e-mail: brasiliabrincante@gmail.com

Informações: (61) 3522 8884
www.seuestrelo.art.br

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/08/30/culturas-populares-19/

Avie: É cordel, é literatura. É literatura, é cordel.

Inscrições prorrogadas
As inscrições para o Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel – Edição Patativa do Assaré agora podem ser feitas até o próximo dia 14 de agosto, conforme portaria publicada pelo Ministério da Cultura no Diário Oficial da União. O MinC também publicou a retificação do edital e informações sobre Dúvidas Freqüentes. Todos os documentos encontram-se nos sites: www.cultura.gov.br e http://mais.cultura.gov.br. Serão selecionadas 200 iniciativas culturais vinculadas à criação e produção, PESQUISA, formação e difusão da Literatura de Cordel e linguagens afins, compremiação total de R$ 3 milhões
São quatro categorias disponíveis e os candidatos podem se inscrever em duas, sendo premiado apenas em uma.

Na primeira categoria, voltada para a Criação e Produção, serão 100 prêmios. Do total, 80 serão destinados a publicações de obra inédita ou reeditada em folheto de cordel, no valor de R$ 7 mil cada. Outros 20 são para produtos artísticos formatados em livro, CD e DVD voltados para a literatura de cordel, xilogravura, repente, cantoria, coco, aboio e embolada no valor de R$ 22 mil cada.

Para a categoria de Pesquisa (dissertações de mestrado, teses de doutorado ou reedição de livros publicados até 30 de maio de 2010) serão contempladas 10 iniciativas, no valor de R$ 25 mil cada.

Outros 50 projetos serão contemplados na categoria de Formação, destinada tanto para a qualificação de profissionais como para a formação leitora do público em geral, através do Cordel (cursos, seminários, oficinas, dentre outras atividades sócio-culturais de caráter educativo). O edital completo encontra-se nos sites: www.cultura.gov.br  ou http://mais.cultura.gov.br/

Fontes:
http://tribunadonorte.com.br/noticia/inscricoes-para-o-edital-de-literatura-de-cordel/154300
http://www.cultura.gov.br/site/2010/07/16/inscricoes-para-o-edital-de-literatura-de-cordel/

Aprumado, apetrechado, bodoso e valente. É uma lindeza de Brasil.

Prêmio Culturas Ciganas
SID/MinC realiza a 23ª Oficina de Capacitação sobre o edital, em Mauriti (CE)

Os ciganos da cidade de Mauriti, no Ceará, participaram nesta segunda-feira, 21de junho, de uma Oficina de Capacitação sobre o Edital Prêmio Culturas Ciganas 2010, uma realização da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural (SID/MinC) e da Pastoral dos Nômades do Brasil.

Até o momento, já foram realizadas 22 oficinas em várias cidades do país com previsão de que continuem até o dia 11 de julho. Além de levar esclarecimentos e alguns exercícios práticos aos participantes, as oficinas têm, ainda, a finalidade de criar uma rede colaborativa, sejam eles ciganos (as) ou não.

Edital – Serão premiadas 30 iniciativas que envolvam trabalhos, individuais ou coletivos, para o fortalecimento das expressões culturais ciganas, nas seguintes áreas: artes, danças, músicas, culinária, vestimenta, artesanatos, contos escritos, dentre outros. O objetivo é que esses projetos contribuam para a continuidade e a manutenção das identidades e dos diferentes clãs e povos residentes no Brasil.

Saiba mais sobre o Edital

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/06/22/premio-culturas-ciganas-10/

Arriando a fivela.

São Paulo receberá pela primeira vez a tradicional Festa de São João

Estado que concentra 7 milhões de nordestinos será palco de evento típico para aproximadamente 100 mil pessoas.

De 18 a 20 de junho acontece em São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, uma enorme festa junina: a “São João em São Paulo”. O tradicional festejo nordestino trará para a cidade toda a alegria e diversidade presentes nos nove estados da região. Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão estarão devidamente representados por meio do artesanato e de comidas e bebidas típicas.

O município que concentra a maior população de nordestinos fora de suas terras natais terá uma cidade cenográfica de 30 mil m² construída no Sambódromo do Anhembi. Com isso, os visitantes poderão fazer uma viagem sensorial à região Nordeste sem sair de São Paulo. O evento terá apresentações de quadrilhas compostas por alunos da rede pública de ensino, feira de artesanato, quermesse e parque infantil. “A região que reúne 4 milhões de migrantes nordestinos oferecerá uma excelente oportunidade para que esse povo reencontre suas raízes”, afirma Barretto Júnior, Diretor Executivo da OCP Promo, empresa de brand entertainment responsável por trazer o evento à cidade juntamente com a São Paulo Turismo (SPTuris), empresa de promoção turística e de eventos da cidade de São Paulo.

A estimativa é que, por dia, 30 mil pessoas passem pelo Anhembi. O público poderá assistir a shows de grandes atrações da música popular como Elba Ramalho, Chiclete com Banana, Alceu Valença, Zezé di Camargo & Luciano, Banda Calypso, Falamansa, Parangolé, entre outros. Esse grande arraial trará lembranças e deixará marcada uma das principais comemorações brasileiras anuais.

A idealização é da SPTuris e da OCP Promo, que possui em seu portfólio a produção de grandes acontecimentos como patrocínios de festas no Recôncavo Baiano e o Carnaval de Salvador. O apoio é da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado de São Paulo, e o grande acontecimento tem como patrocinadores o Banco do Brasil, Gol Linhas Aéreas e OAS Empreendimentos.

“São Paulo é a terra da diversidade, na qual convivem pessoas de mais de 70 nacionalidades, além de centenas de diferentes costumes e tradições. Temos de celebrar essa riqueza cultural, construída, em grande parte, pelo povo que veio do multicultural Nordeste brasileiro”, segundo Everaldo Júnior, diretor de Eventos da SPTuris.

Os convites para o São João em São Paulo já estão à disposição nos pontos de venda da Ingresso Rápido, no Centro de Tradições Nordestinas (CTN), no Shopping Center Norte e no Shopping Metrô Tatuapé, pelo telefone (11) 4003-1212 ou pelo site http://www.ingressorapido.com.br/.

O acesso ao local

O público terá à disposição ônibus que farão os transfers das estações do Tietê e da Barra Funda. Também contarão com uma frota do Táxi Amigão, programa especial da Prefeitura que oferece desconto de 30% na tarifa (o mesmo preço da bandeira 1 é cobrado no horário que a bandeira 2 está valendo).

Para os que preferirem ir de carro, o estacionamento do evento dará desconto com a apresentação do ingresso. O valor cobrado normalmente é de R$ 25,00, mas na ocasião sairá por R$ 8,00. Para mais informações sobre o evento é só acessar: http://www.saojoaoemsaopaulo.com.

Serviço:

“São João em São Paulo”
Local: Sambódromo do Anhembi
Dias: 18, 19 e 20 de junho
Ingressos: Pista – Meia: R$ 20,00 / Inteira: R$ 40,00
Camarote – Meia: R$ 120,00 / Inteira: R$ 240,00
* Valores referentes ao 1º lote e estão sujeitos a alterações.
Promoção: Passaporte para os 03 dias de evento tem 10% de desconto:
Pista – De: R$ 60,00 – Por: R$ 54,00 / Camarote – De: R$ 360,00 – Por: R$ 324,00

Apois.

II Encontro Iberoamericano Afro-Latino

O II Encontro Iberoamericano de Ministros da Cultura para uma Agenda Afrodescendente nas Américas, com o tema A Força da Diáspora Africana, acontecerá em Salvador no período de 25 a 28 de maio.

A abertura oficial será no Teatro Castro Alves e coincide com a comemoração do Dia da África, 25 de maio. Haverá apresentação do I Concerto Afro-Latino com os cantores Elza Soares, Mariene de Castro e Riachão.

O evento é promovido pelo Ministério da Cultura, por meio da Fundação Cultural Palmares, e visa elaborar um plano que contemple políticas públicas de ações afirmativas para a igualdade racial, por meio de projetos e propostas de cooperação entre os países da América Latina e Caribe.

Esta reunião marca o compromisso assumido em 2008, durante a realização da primeira edição do encontro em Cartagena, na Colômbia, e reunirá, além dos Ministros de Cultura, organismos internacionais como a Organização dos Países Ibero-Americanos (OEI), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Na programação constam eventos como Encontro de Pensadores – reunião de agentes políticos, sociais e especialistas na área de cultura negra na América Latina e Caribe para dialogarem sobre as diretrizes políticas em torno do tema -; apresentação do Observatório Afro-Latino – um programa virtual de intercâmbio de conteúdos sobre as culturas de comunidades afro-latinas e caribenhas -; além de oficinas de percussão e atividades artísticas. Além de plenárias, conferências, atividades artísticas, shows e workshops.

Os interessados em participar do Encontro de Pensadores e das oficinas de percussão devem se inscrever, a partir da próxima terça-feira [17 de maio] no site http://www.encontroafrolatino.com. Os ingressos dos shows também devem ser retirados no site e trocados na portaria do Teatro Castro Alves e do Museu Du Ritmo, onde vão acontecer as apresentações artísticas.

Saiba mais no site da Fundação Cultural Palmares

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/05/14/politicas-culturais-para-afrodescendentes/

Virando, remexendo e ambolando.

Mais uma Virada Cultural em São Paulo.

Eu trabalho no Centro e vocês precisam ver que lindeza que está ficando. É de dar gosto.

A programação completa das atrações pode ser conferida em: http://viradacultural.org/programacao e abaixo seguem algumas relacionadas ao universo nordestino.

O site da Prefeitura de São Paulo traz informações quanto aos horários e transporte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/portal/a_cidade/noticias/index.php?p=37527

Um beijo e um cheiro.

Alê

Bulevar São João
19h00 Hermeto Pascoal
03h00 Orquestra Popular do Recife

Estação da Luz: Palco da Dança
11h30 Nordeste, a Dança do Brasil – Balé Popular do Recife e Antúlio Madureira

Mauá – Av. Casper Libero, próximo a Rua Washington, virado para a Rua Mauá
23h10 Camarones Orquestra Guitarrística (RN)
02h30 Plastique Noir (CE)
05h50 Vendo 147 (BA)
17h30 Cabruêra (PB)

Ruas do Centro
Atrações não limitadas e nenhum lugar.
22h00 Maracatu Bloco de Pedra 

Lgo. do Paissandú
00h0 Capoeira e Apresentações Culturais. – Assoc.dos Capoeiristas de Embu das Artes (vários horários)

CEU – Jaguaré – Rua kenkiti shimomoto 80
16h00 Trio Nordestino
18h00 Movimento Brasilidade

CEU – Aricanduva – rua Olga Fadel Abarca, s/nº – Itaquera
19h00 Marcelo Nova

CEU – Azul da cor do mar – av. Ernesto Souza Cruz, 2171 – Cidade A.E.Carvalho
10h00 – Samba de Roda, Puxada de Rede e Maculelê
11h00 – Roda de Capoeira

CEU – Parelheiros – Rua José Pedro de Borba, 20 – Jd. Novo Parelheiros
17h30 Aula de Forró – Forrozeiros Edy e Déia

CEU – Pq. Anhanguera – R. Pedro José de Lima, s/nº – Anhanguera
18h00 Grupo Candieiro Incendiário + Participação Violão Igor Roil e Convidados
20h00 Apresentação de Literatura de Cordel – Grupo Candieiro Incendiário
15h00 Apresentação de Capoeira

CEU – Paz – R da Paz, s/n° V. Brasilândia – Freguesia Brasilândia
18h00 Oswaldinho do Acordeon
15h00 Trio Alvorada 

CEU – Pq Bristol – R. Profº Dr Artur Primavesi, s/nº – Sacomã
19h00 Raimundos

 CEU – Pêra Marmelo – R. Pêra Marmelo, 226 – Jd. Santa Lucrécia / Jaraguá
22h00 Sociais do Forró
18h00 Anastácia – a Rainha do Forró

 CEU – Sapopemba – R. Manuel Quirino de Matos, s/nº – Sapopemba
18h00 Reconstruindo Nossas Indentidades

CEU – Tiquatira – Av. Condessa Elizabeth de Robiano, s/nº
10h00 Apresentação de Capoeira

CEU – Vila Rubi – R. Domingos Tarroso, 101 – Grajaú
18h00 Trio Virgulino
19h30 Forrueiros 

CEU – Vila Atlântica -R. Coronel José Venâncio Dias, 840 – Jd. Nardini
22h30 Forrobodó 

Pinacoteca Luz
11h00 Feirão de Livros – Equipe do Museu

Centro Cultural Banco do Brasil – Cinema
15h00 O Pagador de Promessas – Anselmo Duarte

Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822
00h00 Cordel do Amor Sem Fim – Trupe Sinhá Zózima

Sesc Santana – Avenida Luiz Dumont Villares, 579
00h0 Reverbeáfrica – Jam Session – Cia Repentistas do Corpo às 2h e 3h
03h30 Móveis Coloniais de Acajú – Móveis Coloniais de Acajú 

Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141
00h0 Spok Frevo – Spok Frevo às 21h e 18h 

Terminal Rodoviário do Tietê – Av. Cruzeiro do Sul, 1800
19h00 Embarque e Desembarque – Intervenção Teatral no Setor de Desembarque do Terminal. – Cia. Ânima Dois

Centro de Tradições Nordestinas – Avenida Jacofér, 615
22h00 Tenkitê
23h00 Sistema Opéra
00h30 Rubens & Ruan
02h00 Sheila Brazill
12h00 Quinteto Dona Zaira
14h00 Rodrigo Marim
00h0 Maria Bonita e Lampião (vários horários)
00h0 Lampião Prateado (vários horários)
16h00 André e Renato
17h00 Cauê Procópio

Desasnando.

MOVIMENTO ARMORIAL

Lúcia Gaspar
Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco
pesquisaescolar@fundaj.gov.br

A Arte Armorial Brasileira é aquela que tem como traço comum principal a ligação com o espírito mágico dos “folhetos” do Romanceiro Popular do Nordeste (Literatura de Cordel), com a Música de viola, rabeca ou pífano que acompanha seus “cantares”, e com a Xilogravura que ilustra suas capas, assim como com o espírito e a forma das Artes e espetáculos populares com esse mesmo Romanceiro relacionados”.
Ariano Suassuna, Jornal da Semana, Recife, 20 maio 1975.

O Movimento Armorial surgiu sob a inspiração e direção de Ariano Suassuna, com a colaboração de um grupo de artistas e escritores da região Nordeste do Brasil e o apoio do Departamento de Extensão Cultural da Pró-Reitoria para Assuntos Comunitários da Universidade Federal de Pernambuco.

Teve início no âmbito universitário, mas ganhou apoio oficial da Prefeitura do Recife e da Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco.

Foi lançado oficialmente, no Recife, no dia 18 de outubro de 1970, com a realização de um concerto e uma exposição de artes plásticas realizados no Pátio de São Pedro, no centro da cidade.

Seu objetivo foi o de valorizar a cultura popular do Nordeste brasileiro, pretendendo realizar uma arte brasileira erudita a partir das raízes populares da cultura do País.

Segundo Suassuna, sendo “armorial” o conjunto de insígnias, brasões, estandartes e bandeiras de um povo, a heráldica é uma arte muito mais popular do que qualquer coisa. Desse modo, o nome adotado significou o desejo de ligação com essas heráldicas raízes culturais brasileiras.

O Movimento tem interesse pela pintura, música, literatura, cerâmica, dança, escultura, tapeçaria, arquitetura, teatro, gravura e cinema.

Uma grande importância é dada aos folhetos do romanceiro popular nordestino, a chamada literatura de cordel, por achar que neles se encontram a fonte de uma arte e uma literatura que expressa as aspirações e o espírito do povo brasileiro, além de reunir três formas de arte: as narrativas de sua poesia, a xilogravura, que ilustra suas capas e a música, através do canto dos seus versos, acompanhada por viola ou rabeca.

São também importantes para o Movimento Armorial, os espetáculos populares do Nordeste, encenados ao ar livre, com personagens míticas, cantos, roupagens principescas feitas a partir de farrapos, músicas, animais misteriosos como o boi e o cavalo-marinho do bumba-meu-boi.

O mamulengo ou teatro de bonecos nordestino também é uma fonte de inspiração para o Movimento, que procura além da dramaturgia, um modo brasileiro de encenação e representação.

Congrega nomes importantes da cultura pernambucana. Além do próprio Ariano Suassuna, Francisco Brennand, Raimundo Carrero, Gilvan Samico, entre outros, além de grupos como o Balé Armorial do Nordeste, a Orquestra Armorial de Câmara, a Orquestra Romançal e o Quinteto Armorial.

FONTES CONSULTADAS:

MOVIMENTO Armorial. Disponível em: <http://www.pe-az.com.br/subsecao_ler.php?id=MTA0>. Acesso em: 10 maio 2002.

PINTO, Egon Prates. Armorial Brazileiro. Iluminuras de L. G. Loureiro. Rio de Janeiro: Edição Suplementar da Revista da Semana, [19–?].

SUASSUNA, Ariano. O Movimento Armorial. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 1974.

Fonte deste post: GASPAR, Lúcia. Movimento Armorial. Pesquisa Escolar On-Line, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://www.fundaj.gov.br>. Acesso em: 20 abr. 2010.

Movimento Armorial no site do Ariano Suassua: http://www.arianosuassuna.com.br/index.php?menu=72

Se avie: é muito mestre pra pouco mundo.

Lançamento do V Encontro Mestres do Mundo em Fortaleza com “Terreirada”
Evento reunirá 150 mestres da América Latina em Limoeiro no mês de março

Na próxima quarta-feira, 25 de fevereiro, em Fortaleza, será promovido o lançamento do V Encontro Mestres do Mundo, que ocorrerá no mês de março, na cidade cearense de Limoeiro do Norte, reunindo mestres de saber tradicional do Brasil e de outros países da América Latina.

O lançamento será realizado a partir das 16h, no Minimuseu Firmeza (Rua Via Férrea, nº 259), no bairro do Mondubim. Durante o evento, haverá a tradicional ‘Terreirada’, que terá como anfitriã a mestre Dona Nice Firmeza, apresentação do Boi Ceará de Mestre Zé Pio e outras atividades culturais.

O Encontro acontecerá entre 17 e 20 de março, no município de Limoeiro, localizado a 198 quilômetros de Fortaleza, e reunirá cerca de 150 Mestres brasileiros e latino-americanos. Nos quatro dias do evento, os mestres das culturas populares se encontrarão para apresentações e trocas de experiências sobre seus saberes e fazeres, reunindo em um único local uma grande diversidade de tradições vindas de várias regiões brasileiras e de outros países.

Estão programadas oficinas e seminários, além de apresentações artísticas em palcos montados na Praça da Igreja Matriz. As atividades do Encontro serão divididas em cinco categorias de Mestres da Cultura: das Mãos (artesãos, bordadeiras, gravadores, etc.); do Corpo (dança, teatro e performances tradicionais); do Sagrado (penitentes, rezadeiras, profetas da chuva, entre outros); do Som (músicos, instrumentistas, luthiers); e da Oralidade (contadores de história, poetas, cordelistas e repentistas).

Matéria completa: http://www.cultura.gov.br/site/2010/02/18/lancamento-do-v-encontro-mestres-do-mundo-em-fortaleza-com-terreirada/

Mais informações para a imprensa sobre o assunto com a AD2M Engenharia de Comunicação, pelo fone (85) 3258.1001. Falar com Bruno Sampaio (85) 9605.0462 pelo e-mail bruno@ad2m.com.br
(Heli Espíndola-Comunicação/SID)

« Older entries