É danado de bom.

Algumas Expressões Culturais Nordestinas Danças Folclóricas

Frevo

frevo1

Esta dança teve origem nos movimentos da Capoeira. A estilização dos passos foi resultado da perseguição infligida pela Polícia aos capoeiras, que aos poucos sumiram das ruas, dando lugar aos passistas.
Em meados do século XIX, em Pernambuco, surgiram as primeiras bandas de músicas marciais, executando dobrados, marchas e polcas. Estes agrupamentos musicais militares eram acompanhados por grupos de capoeiristas.
Por esta mesma época, surgiram os primeiros clubes de carnaval de Pernambuco, entre eles o Clube Carnavalesco Misto Vassourinhas (1889) e o C.C.M. Lenhadores (1897), formados por trabalhadores, cada um possuindo a sua banda de música. Os capoeiristas necessitavam de um disfarce para acompanhar as bandas, agora dos clubes, já que eram perseguidos pela polícia. Assim, modificaram seus golpes acompanhando a música, originando tempos depois o “Passo” (a dança do Frevo) e trocando suas antigas armas pelos símbolos dos clubes que, no caso dos Vassourinhas e Lenhadores, eram constituídos por pedaços de madeira encimados por uma pequena vassoura ou um pequeno machado, usados como enfeites.
A sombrinha teria sido utilizada como arma pelos capoeiristas, à semelhança dos símbolos dos clubes e de outros objetos como a bengala. De início, era o guarda-chuvas comum, geralmente velho e esfarrapado, hoje estilizado, pequeno para facilitar a dança, e colorido para embelezar a coreografia. Atualmente a sombrinha é o ornamento que mais caracteriza o passista e é um dos principais símbolos do carnaval de Pernambuco.
Fonte da matéria: http://www.terrabrasileira.net/folclore/regioes/5ritmos/frevo.html
Fonte da foto:
http://www.paraiba.com.br

Baião

BaiãoO Baião é uma dança cantada. Criação nordestina, resultante da fusão da dança africana com as danças dos nossos indígenas e a dos portugueses colonizadores, refletindo na sua composição o caldeamento destas três raças.
Anteriormente conhecido como Baiano, por influência do verbo “baiar”, forma popular de bailar, baiar, baio (baile), na opinião do mestre Joaquim Ribeiro, sempre foi apreciado e praticado no Nordeste; depois foi-se difundindo por outras plagas e por fim atravessou com sucesso as fronteiras do País. A natureza do Baião não sofreu nenhuma transformação em sua peregrinação para outras regiões. Apenas foi alterado em sua forma na migração para o Sul do País, visto que: após a execução do Baião, o dançarino convida outra pessoa para o substituir com uma umbigada, enquanto no Sul o convite ao substituto é assinalado com um estalar de dedos, à guisa de castanholas, em direção ao escolhido.
Fonte da matéria e foto: http://www.terrabrasileira.net/folclore/indice1.html

Bumba meu Boi

Bumba meu Boi

A origem do auto do bumba-meu-boi remonta ao Ciclo do Gado, no século XVIII, resultante das relações desiguais que existem entre os escravos e os senhores nas Casas Grandes e Senzalas, refletindo as condições sociais vividas pelos negros e índios. Contado e recontado através dos tempos, na tradição oral nordestina, e depois espalhada pelo Brasil, a lenda fundante adquire contornos de sátira, comédia, tragédia e drama, conforme o lugar em que se inscreve, mas sempre levando em consideração a estória de um homem e um boi, ou seja, o contraste entre, por um lado, a fragilidade do homem e a força bruta do boi e, por outro lado, a inteligência do homem e a estupidez do animal.
Fonte da matéria: http://www.terrabrasileira.net/folclore/indice1.html
Fonte da foto: http://www.klickeducacao.com.br

Coco

Samba Coco

O Coco é uma dança de origem ameríndia (tupi), também chamada “bambelô” ou “zamba”. É muito dançada na região praiana do norte e do Nordeste, sobretudo em Alagoas.

O Coco, a exemplo de outras danças tipicamente brasileiras, apresenta grandes variedades de formas. Em Alagoas é dançado de maneira bastante diferente do Rio Grande do Norte e da outra forma dançada na Paraíba. Além do Coco de Praia, Coco de Roda, Coco de Sertão. Sua natureza porém não é alterada. É uma festa viva e alegre, embora não apresente riqueza de ritmo nem de melodia.
Fonte da matéria: http://www.terrabrasileira.net/folclore/indice1.html
Fonte da foto: http://emsergipe.globo.com

Maracatu

MaracatuOs Maracatus mais antigos do Carnaval do Recife, também conhecidos como Maracatus de Baque Virado ou Maracatu Nação, nasceram da tradição do Rei do Congo, implantada no Brasil pelos portugueses. O mais remoto registro sobre Maracatu data de 1711, de Olinda, e fala de uma instituição que compreendia um setor administrativo e outra, festivo, com teatro, música e dança. A parte falada foi sendo eliminada lentamente, resultando em música e dança próprias para homenagear a coroação do rei: o Maracatu.
Parece que a palavra “maracatu” primeiro designou um instrumento de percussão e, só depois, a dança que se dançava ao som deste instrumento. Os cronistas portugueses chamavam aos “infiéis” de nação, nome que acabou sendo assumido pelo colonizado. Os próprios negros passaram a autodenominar de nações a seus agrupamentos tribais. As nações sobreviventes descendem de organizações de negros deste tipo, e nos seus estandartes escrevem CCMM (Clube Carnavalesco Misto Maracatu).
Fonte da matéria: http://www.terrabrasileira.net/folclore/indice1.html
Fonte da foto: http://www.salesianost.com.br

13 Comentários

  1. Juliana said,

    agosto 27, 2009 às 10:02 pm

    Este site me ajudou em um trabalho sobre danças folclorica obrigada 🙂

    • Alê Almeida said,

      setembro 3, 2009 às 5:01 pm

      Ô Juliana,

      Obrigada você, por ter utilizado o meu blog.

      Abraços e sucesso!

      Alê

  2. joice said,

    setembro 17, 2009 às 12:50 am

    esse site me ajudou muito no meu trabalho

  3. JOYSE said,

    outubro 10, 2009 às 7:04 pm

    me ajudou muito no meu trabalho de artes………

    • Alê Almeida said,

      outubro 13, 2009 às 4:17 pm

      Oi Joyse,

      Que ótimo!
      Muito obrigada por utilizar este blog.

      Abraços,
      Alê

      • carla said,

        junho 21, 2010 às 1:18 pm

        esse blog me ajudou no trabalho de ed.fisica
        muito obrigado!!
        bjks

      • Alê Almeida said,

        junho 22, 2010 às 12:47 pm

        Ô Carla,
        Fico muito feliz por ter contribuído para o seu trabalho. Boa sorte e volte sempre.
        Bjs,
        Alê

  4. Althiane said,

    janeiro 13, 2010 às 10:34 am

    Bom dia Alê!
    Nao sou do Brasil mas gosto muito da cultura. E muito interesante descobrir as danças folcloricas do pais. Muito obrigada promover os eventos que marcam a historia do Brasil!
    Althi da Guiana francesa.

    • Alê Almeida said,

      janeiro 22, 2010 às 12:35 pm

      Bom dia Althi, tudo bem? Aqui está tudo ótimo!

      Que linda a sua visita neste blog e mais lindo ainda o seu interesse pela cultura brasileira. Fico muito orgulhosa. Obrigada.

      Abraços para você e para todos da Guiana Francesa.

      Alê

  5. Bruna Dias said,

    maio 4, 2010 às 5:34 pm

    Estava fazendo meu trabalho de artes, encontrei essa imagem, tomara que a minha professora goste!

    • Alê Almeida said,

      maio 14, 2010 às 5:14 pm

      Oi Bruna, tudo bem?
      E a sua professora, gostou?
      Espero que sim.
      Obrigada pela visita,
      Alê

  6. janeiro 3, 2011 às 12:10 pm

    […] The busiest day of the year was 17 de maio with 128 views. The most popular post that day was É danado de bom.. […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: